ABR REALIZA AUDITORIA NAS PROPRIEDADES INSCRITAS NO PROGRAMA

image005_opt

Auditoria na Fazenda Eliane, em São Desidério

Começou na primeira semana de abril, a fase de auditorias do Algodão Brasileiro Responsável (ABR), programa de sustentabilidade da Abrapa, executado na Bahia pela Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), para a certificação de conformidade – Safra 2015/16. “Temos tido um número crescente de adesões a cada ano. A Abapa vem atuando junto aos produtores, propondo alguns ajustes e buscando a melhoria com baseado no incremento progressivo das boas práticas sociais, ambientais e econômicas, atendendo pelos princípios fundamentais do desenvolvimento sustentável”, ressaltou o presidente da Abapa, Celestino Zanella.

Para esta safra, o índice de conformidade exigido para aprovação é de 87%, nas propriedades que foram certificadas na safra anterior, 85% para as propriedades que estão iniciando no programa, e 89% para as propriedade que já estão na terceira safra, sendo a SGS do Brasil, a empresa responsável pela auditoria nas unidades produtoras da Bahia.

Para o auditor da SGS, Laurent Berthier, a auditoria é um processo que sempre agrega benefícios para propriedades. “O processo de auditoria sempre dá uma visão de conjunto de sistema. É uma ferramenta que colabora na organização das propriedades. No caso do ABR, percebemos que o programa vem de encontro com essa ideia socioambiental, em que o meio ambiente e o trabalhador é levado em consideração. Na Bahia, estamos visitando as propriedades inscritas no programa e temos visto que muitas, que já passaram por esse processo em outras safras, estão tecnicamente, na sua maioria, adequadas às normas”, disse o auditor.

De acordo com o gerente administrativo da Fazenda Eliane, Ariel Giacomini, a certificação ABR, além de dar um respaldo internacional, encaminha a propriedade para uma melhoria contínua em todos os processos. “Estamos na nossa terceira certificação, e obtemos inúmeros benefícios, como melhorias nas estruturas das propriedades, evolução na forma de trabalho, maior bem-estar aos funcionários. Notamos que, atualmente, os colaboradores realizam suas atividades de forma bem mais sustentável, além de melhorias e cuidados em todo o processo produtivo. Isso traz segurança e nos deixa preparados, tanto para a certificação do ABR, quanto para a de outros órgãos fiscalizadores”, ressaltou Ariel.

O ABR foi implantado na Bahia pela Abapa, com a coordenação da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), com o apoio do Instituto Brasileiro do Algodão (IBA), e atesta o nível de conformidade obtido pelas propriedades, com base nos critérios do programa, baseado nas boas práticas sociais, ambientais e econômicas. Para a safra 2015/2016 a expectativa é de certificar 55% da produção de algodão do Estado da Bahia, alcançando um avanço de 10% em relação à safra passada, quando o ABR certificou 36 propriedades, totalizando 46% da área de algodão, na Bahia.

Assessoria de Comunicação

Alô Alô Salomão