Balanço do plantão no complexo policial do bairro Aratu registra estupro de vulnerável, poluição sonora e agressão contra a mulher

 

De domingo (14) para segunda-feira (15), o plantão do complexo policial do bairro Aratu, em Barreiras/BA, segundo o delegado Francisco Carlos de Sá, registrou três flagrantes, sendo eles por: poluição sonora, agressão contra a mulher e estupro de vulnerável.

O delegado declarou que o caso de agressão contra a mulher está relacionado a um casal de dependentes químicos. “O companheiro acusa a companheira de usar crack e ela faz as mesmas acusações contra ele. Mas, além disso, ela diz que vinha sendo mantida em cárcere privado”, declarou o delegado. O homem foi autuado em flagrante e permanece preso na cadeia pública local. A prisão foi executada por policiais militares.

2º Caso

Um casal de comerciantes, proprietário de um mercadinho no residencial Boa Sorte, foi preso por uma guarnição da 83ª CIPM, por volta das 23h 00 de ontem (14), em apoio ao CEMATUR, por usar aparelhagem sonora em alto volume, perturbando a população.

O delegado ressalta que, no momento da abordagem policial, ambos agrediram os policiais fisicamente e com palavras de baixo calão, sendo necessário o uso da força para contê-los. O delegado lavrou o auto de prisão em flagrante por desacato e perturbação do sossego alheio e da tranquilidade.

3º Caso

Policiais da 86ª CIPM, lotados em Formosa do Rio Preto/BA, prenderam um homem de 46 anos, na Avenida Itajuí, Novo Horizonte, naquele município, acusado de estuprar uma menina de quatro anos de idade.  Edson de Araujo Souza foi preso por volta das 17h 00 de domingo (15).

De acordo com o delegado Francisco Carlos de Sá, o estuprador confessou detalhes do crime e a criança apresenta-se com fortes sinais do abuso sexual. “Ele ainda teve coragem de me falar que a criança ficou com ele porque quis. Também conta que fez sexo anal e se masturbou, enquanto apalpava as partes íntimas da garota”.

O autor do crime é membro da família da vítima. Uma testemunha afirma que viu ele chegando com um saco de balas na residência onde a criança estava, entretanto, não presenciou o crime.

O Conselho Tutelar do município foi acionado e passou a acompanhar o caso. A garota foi levada para o hospital municipal, onde permanece internada. A mãe da menor conseguiu cópias do laudo médico que atestam indícios do ato de violência sexual e procurou o plantão central da 11ª Coordenadoria Regional de Barreiras para denunciar o crime.  O autor foi autuado em flagrante por estupro de vulnerável.

Alô Alô salomão