BARREIRAS: SINDIOESTE TEM ATÉ O FINAL DESTE MÊS PARA SE DEFENDER DE ACUSAÇÕES SOBRE FRAUDE ELEITORAL

DSCF1171_opt

O SINDIOESTE – Sindicato dos Trabalhadores Empregados nas Indústrias da Construção Civil do Oeste da Bahia, na pessoa de seu representante legal, Ednilson Sousa Silva tem prazo até o dia 30 do mês em curso (agosto/2015) para se manifestar sobre acusações de fraudes nas eleições que escolheram sua diretoria, para os triênios 2011 e 2014. As supostas ilegalidades foram denunciadas pelo ex – dirigente sindical Mário dos Santos Souza.

DSCF1108_opt (1)

O Ministério Público do Trabalho acatou as denúncias e iniciou as investigações em junho de 2015. O Procurador do Trabalho, Excelentíssimo Senhor THIAGO DE OLIVEIRA ANDRADE, exige a apresentação de toda a documentação relativa à eleição, como, por exemplo, relação das chapas concorrentes, atas de votação e apuração, relação de votantes, etc.

Adverte-se, na forma da Lei em vigor, que “a falta injustificada e o retardamento indevido do cumprimento das requisições do Ministério Público implicarão a responsabilidade de quem lhe der causa, podendo ensejar a adoção das medidas judiciais e extrajudiciais cabíveis, tais como a instauração de Inquérito Civil, ajuizamento de Ação Civil Pública e Ação Penal”.

O ex – dirigente formalizou denúncia de irregularidades logo após as eleições. “Em 2011 solicitei a relação de votantes, depois do processo eleitoral e constatei que havia pessoas que não compareceram nas seções de votações e que tinham seus nomes na lista de presença, com falsas assinaturas, além de duplicidade na votação, sendo assim, resolvi procurar o Ministério Público para denunciar as fraudes”, declarou.

Ainda de acordo ele foram falsificadas aproximadamente 200 assinaturas e mais de 20 trabalhadores, entre os municípios de Luis Eduardo Magalhães e Barreiras, registraram Boletim de Ocorrência (BO) e entraram com representação criminal solicitando a instauração de Inquérito que apurasse as queixas.

Segundo dados registrados na delegacia de polícia, o proprietário da construtora, o senhor Carlos Emanuel Fernandes acusa o ex-presidente e atual tesoureiro da associação, Hélio da Silva, de ter falsificado o carimbo de sua empreiteira e a assinatura do empregador, em sua Carteira de Trabalho, com a finalidade de disputar o pleito.

Mário procurou nossa produção, com cópias de vários documentos do Ministério Público do trabalho e da Polícia Civil, o qual considera que ali existem elementos satisfatórios e suficientes para provar, o que ele intitula de “manobras de malandragem” da atual diretoria do SINDIOESTE para permanecer no poder. “São grandes as evidências de roubo nas duas eleições, portanto, estou ansioso, aguardando que Justiça seja feita na apuração dos fatos. Que os culpados sejam punidos, porque essas questões não condizem com a imagem da instituição que sempre representou tão bem a classe trabalhadora”, finalizou.

Alô Alô Salomão

dr honorato_opt