DELEGADO CONTA DETALHES SOBRE A PRISÃO DE ACUSADO DE LATROCÍNIO E ESTUPRO CONTRA IRACI NAZARI EM RIACHÃO DAS NEVES

20151002133723_opt

O Ministério Público protocolou e a Justiça acatou a representação feita pelo delegado Carlos Cruz Ferro, que pediu prisão temporária do indiciado Paulo Viana Mendes, natural de Corrente/PI, 36 anos, pela morte da senhora Iraci Salute Bonatto Nazari, de 63 anos. Vítima de estrangulamento na estrada da fazenda “Brascal”, município de Riachão das Neves/BA, na noite de 29/09/2015.

Na ocasião, de acordo com informações policiais, a vítima foi encontrada sem sinais de vida pelo próprio marido, ao lado do seu veículo, um Renault/Sandero de cor preta. Estava com escoriações no rosto, pescoço e vestígios de violência sexual (estupro).

Segundo o delegado, as investigações apontam para roubo seguido de morte (latrocínio).  O acusado contou em depoimento, que foi a fazenda da vítima dar um telefonema, de onde saiu por volta das 19h 00 para assistir a novela do Grego (Paraisópolis).  “Disse ao funcionário ter esquecido o aparelho na fazenda onde trabalha, e ao perceber que a vítima saiu, por volta das 18h 00 perguntou ao funcionário para onde ela estava indo e inocentemente o mesmo respondeu que achava que era para Riachão”, comentou Ferro.

20151002133721_opt

Declarou ainda que ele escondeu a moto na margem esquerda da pista, perto de uma curva nas proximidades da BR 135.  O veículo foi encontrado a uma distância de 1,5km do corpo. “A abordagem pode ter ocorrido através de bloqueio com pedras, e ela subindo a serra teve que parar ou ele possivelmente pediu carona”.

Há alguns anos, Paulo Viana Mendes praticou um estupro em Corrente/PI, onde teria sido condenado. A vítima também seria uma pessoa de idade.

20151002133719 (1)_opt20151002133719 (2)_opt (1)

Entrevista com o delegado Carlos Ferro…

Site – O senhor acredita que as provas são suficientes para a Justiça o decretar como responsável pelo latrocínio?

Delegado – Apesar da negativa de autoria por parte do marginal, impossível negar diante das provas colhidas, sua presença no local do crime. Não poderia deixar de lembrar-se da Perícia Técnica, e parabenizar a todos pelo brilhante trabalho na coleta de provas, que ao final será crucial para condenação.

Site – Qual argumento apresentado por ele para se defender das acusações de um crime tão brutal?

Delegado – Diz que saiu da fazenda da vítima e foi direto para a serra, onde escondeu sua motocicleta a 30 metros da estrada. Alegou em depoimento, que foi ao local para telefonar e não conseguiu sinal, se ele quisesse realmente telefonar, a posição no mato seria direita para pegar a torre da Claro em Riachão das Neves.

Site – Quais são os indícios encontrados pela equipe de investigação, que ajudam definir a linha de investigação que o aponta como culpado?

Delegado – A moto foi escondida, quem vai telefonar sempre coloca o veículo na beira da pista e não dentro do mato; havia pegadas das botas utilizadas e apreendidas na fazenda por toda cena do crime e próximo ao corpo tinha marcas dos pneus da moto que nos levaram até a fazenda. Diante destas informações, representei pela busca e apreensão e condução coercitiva, e em menos de duas horas, o juiz da comarca, Dr. Euclides Arruda deferiu a ordem.

Site – Ele falou para quem pretendia dar esse telefonema?

Disse ter ido telefonar para uma namorada na serra e como não conseguiu sinal, ao voltar, viu a vítima caída no chão, resolveu levantar-lhe a cabeça, limpar sua boca e como viu que estava morta foi para a fazenda onde reside para avisar a polícia, mas não conseguiu, no entanto, ao ser questionado acerca do crime, Paulo disse que soube do fato através do patrão. A fazenda onde fica é mais distante que a fazenda da vítima.

Site – O que ele diz sobre o carro da vítima, que estava próximo ao corpo?

Ele disse que estava a uns 10 ou 20 metros, quando percebeu as duas portas abertas, entrou primeiro na de trás, chamou por ela com uma lanterna e ficou no interior do veículo. Afirmou que pegou na maçaneta, abriu e fechou as portas, puxou o freio de mão e mexeu na direção para que o veículo não descesse em direção ao barranco.

Site – Chegou a dizer o porquê de não ter ligado para a polícia?

Delegado – Perguntei se no local em que encontrou o veiculo pegava celular e respondeu que sim, mas não teve essa ideia, porque não achou que fosse coisa grave. Disse ter voltado ao local e quando viu veiculo perto do corpo resolveu voltar para a fazenda.

Site – Quais são os sinais de violência encontrados no corpo e cena do crime?

Delegado – Pedaço de roupa da vítima, dois borrões no pano, que indicam posição de dedos ou punhos usados para rasgar a roupa e dois buracos. Foram colhidos para verificação de material genético (DNA).

Site – É verdade que o suspeito possuía uma arma?

No dia do fato ele foi preso por manter sob sua posse uma espingarda bate bucha. A fiança arbitrada em 20 salários mínimos.

Site – Porque a investigação aponta para crime de latrocínio?

Delegado – Presumimos que ele tentou levar o veiculo, ou o dinheiro dela, deixou a moto escondida, perdeu o controle não conseguiu ligar o motor do carro que tinha um segredo. Tem outros fatos que não posso detalhar, mas as testemunhas ouvidas até agora confirmam outros indícios contra ele.

Site – Havendo confirmação das suspeitas, qual a pena prevista contra o criminoso?

Delegado – Convenhamos a pena no latrocínio são 30 anos, somada a do estupro com morte, 12 a 30 anos. No mínimo irá pegar 45 a 50 anos pelo concurso de crimes.

Site – Foi realmente o marido da vítima que encontrou o corpo?

O esposo dela chegou cansado e pegou no sono, quando sentiu falta era 1h 00, foi quando saiu e encontrou o carro na serra e chamou pessoas para ajudar e a polícia. Acredito que o fato ocorreu entre 20h 00 às 21h 00.

Site – Muito obrigado pelas informações.

Delegado – Eu é que agradeço. Quero estender ainda os agradecimentos ao juiz da comarca e ao promotor de justiça Sinval Castro Villasboas, que em menos de duas analisaram a representação por prisão temporária, que foi decretada por 30 dias, retirando temporariamente o mencionado meliante para longe da sociedade.

Postagem: Joselia Brito

Alô Alô Salomão

REAL-CALÇADOS-659x3471-659x347