DELEGADO FALA SOBRE AUMENTO DE GOLPES DURANTE O PERÍODO DE ISOLAMENTO DA COVID-19

Em entrevista ao repórter Salomão Correia, no programa Poder da Notícia, na rádio Oeste FM, o delegado de polícia Dr. Francisco Carlos de Sá falou sobre a importância de aumentar os cuidados para evitar os golpes na internet, que, segundo ele cresceram durante o período de isolamento causado pelo coronavírus.
Entre os novos crimes, está o sequestro do benefício do governo federal de amparo ao trabalhador brasileiro durante a pandemia (COVID – 19), o auxílio emergencial de R$ 600, 00, em contas da Caixa Econômica Federal. O delegado adverte que, os estelionatários oferecem ajuda para pessoas humildes, sem acesso à informação e apoderam-se dos seus dados pessoais para realizarem o cadastro no aplicativo da CEF.
Em outros casos, através de mensagens encaminhadas pelo whatsapp ou SMS, os criminosos convencem a vítima fornecer seus dados pessoais para usarem nas fraudes. “Todo vagabundo é oportunista e oportunidade está surgindo agora para eles, principalmente o 171, o chamado 17 de janeiro, o estelionatário. O bandido está aproveitando de pessoas que não possuem um celular como eu tenho, como você tem, que com muita facilidade compartilham as informações que ele precisa para aplicar o golpe na internet”.

O delegado também esclarece que muitas fraudes e golpes estão sendo monitorados e investigados, mas não é fácil a elucidação dessa modalidade de crime, porque os hackers ou estelionatários são especialistas em clonagem de telefones, contas no faacebook, istagram e e-mails e agem normalmente de outros estados
A clonagem de telefones é uma modalidade que vem fazendo diversas vítimas em Barreiras. Nesse caso, o hacker rouba o número de telefone de alguém, bloqueia sua linha telefônica, depois de transmitir falsa notícia à operadora, de perda do chip original, em seguida se passa pela vítima para extorquir dinheiro dos contatos dela. O chip original é automaticamente bloqueado quando novo é ativado.
Após clonagem, foto e número do telefone bloqueado passam para o novo chip. A partir daí, os criminosos entram em contato com amigos e familiares das vítimas para pedirem ajuda, alegando que estão precisando de dinheiro com urgência, na maioria das vezes para suprirem necessidades de efetuarem pagamentos de tratamento médico, dívidas com agiotas e outros.

Dr. Francisco Carlos de Sá falou também sobre a clonagem de anúncios de vendas na internet, que já fizeram diversas vítimas no município. Um cidadão procurou a delegacia do bairro Aratu na terça-feira (19)para informar que caiu no golpe ao tentar comprar um carro. Ressalta que o crime foi cometido por um homem que se identificou com o prenome de Antônio, através de página falsa na internet, que usava o nome do aplicativo OLX.
O golpista oferecia o veículo ao cidadão por R$ 9.500,00 (nove mil e quinhentos reais). Aduz que o estelionatário clonou uma página original do site, onde havia a publicação feita pelo real proprietário do carro e o convenceu a efetuar dois depósitos bancários na conta dele (golpista), o primeiro no valor de R$ 4mil e 600, depois mais R$ 400, 00. Os valores seriam correspondentes à primeira parcela de compra do automóvel. O cidadão observa que só percebeu se tratar de um golpe, após ter sido bloqueado pelo autor no aplicativo whatssap 77999671353.

Como funciona o golpe

“Neste caso, o golpista atrai a atenção anunciando na internet o veículo com valor abaixo do mercado. Quando alguém demonstra interesse e deseja marcar um encontro para ver o veículo, o anunciante pede um “sinal” enquanto o comprador já está no trajeto”(crédito: Google).

Alô Alô Salomão