DESCONTROLE

Parece em primeiro momento, que perder o controle em determinada situação, não é privilégio de quem sabe muito ou de quem quase, não sabe nada. Ou seja, todo mundo em qualquer situação de adversidade pode perder o controle e isso não tem nada a haver com sua intelectualidade ou a ausência dela.

No transito, muitas vezes perdemos um pouco de nosso autocontrole, por não conseguirmos assimilar que um habilitado possa cometer tanta irresponsabilidade em nossa frente.

Momento então de respirar fundo, contar até dez e seguir em frente. O perigo de perder o controle no transito hoje é eminente. O mundo está sobrecarregado de violência.

A mídia televisiva não nos oferece em sua programação noticias que elevam o espirito humano. Muito pelo contrario, os noticiários estão repletos de catástrofes, desastres e barbaridades. As novelas transparecem ainda mais essa violência e nome de uma “arte” (entre parêntese), muito discutível, costuma-se dizer que imitam a vida ou vice e versa.

No fundo estão fazendo apologia constante aos crimes, a violência, a traição e a maldade que esta inerente na condição humana. Até os desenhos animados são violentos.

Disparar um processo de descontrole não é mais um caso raro. Pode acontecer a qualquer um em qualquer momento, sem se importar se você usa farda ou batina. O mundo esta cada dia mais violento e por mais que se crie leis e regulamentos de controle as tragédias continuam acontecendo.

Não existe um meio termo aparente. Observe que os canais que pautam sua programação em noticiários e novelas se tornam disseminadores da violência. Os que se preocupam unicamente com as questões religiosas fazem a todo o tempo apenas isso. Histórias de bons exemplos, de conquistas extraordinárias, de contos inocentes, não dão IBOPE. Ninguém se interessa. Documentários inteligentes só nos canais fechados, pois a povo não pode nem deve se instruir porque precisa sempre ser massa de manobra. Quanto menos souber, mais fácil será conduzido para onde o poder determinar.

A violência precisa existir e ser divulgada em toda sua estupidez porque sempre se identifica com o fato de que na ignorância existe a certeza de uma morada segura.

Quando os bons exemplos passam a serem raridades é muito correto prever que a sociedade esta doente. Que uma conspiração mundial esta acontecendo para embrutecer as pessoas e para darem valor ao que em verdade não vale nada.

A violência e o descontrole emocional se sucedem, como fato, como noticia, e como diversão doentia para quem apenas busca por isso. No entanto existem muitos assuntos, inúmeros interesses pacíficos e produtivos que estão sendo negligenciados. Tudo porque a humanidade está se deixando enganar pelo prazer doentio de um mundo cada dia mais violento.

Guto de Paula

CONCEITO OU PRECONCEITO?

Quando falamos de Justiça, incorremos em uma gama de suposições. Nosso sistema de governo através de muitas leis e da própria Constituição, deu privilégios a Justiça que muitos juízes se acham deuses e outros até acreditam que são.

Tem coisas que só eles entendem e só a eles cabe uma reflexão. Aos pobres humanos cabe apenas aceitar e engolir em seco. Essa historia de segunda instancia por exemplo. Para bom entendedor não aceitar a decisão de primeira instancia e promover a segunda é declarar a incompetência de quem gerou a primeira. Simples assim.

Tudo porque existem recursos e prazos, mas entendam que só para os que podem pagar, para os que têm poder de contratar ilustres e renomados advogados que tentarão de todas as formas explicar o inexplicável. Para o meliante pé de chinelo em situação semelhante, sempre haverá uma decisão judicial praticamente sumária.

Embora exista justiça, existe também o limbo dos intocáveis, daqueles que estão a cima do bem e do mal. Que embora façam e aconteçam estão incólumes do poder da Justiça.

E quando porque qualquer vacilo, geralmente uma denuncia, ou desavença com seus comparsas acaba caindo nas barras da Lei, aparecem as prerrogativas paliativas.

Prisão domiciliar, tornozeleira eletrônica ou quando pouco, arquivamento do processo por ausência de provas. Provas que os brasileiros todos sabem serem verdadeiras, mas que os juízes em sua santidade e inteligência perceptiva discordam.

Moral da historia, faça de tudo, desrespeite o transito isso também vale, cometa delitos, faça até um roubo, provoque acidente e arrume bons advogados que até a imprensa você compra e seu nome não aparece. Custa caro, mais quem tem privilegio nem sente. E viva o que entendemos de Justiça para todos!

Guto de Paula

Foto: Divulgação

Alô Alô Salomão