Dólar volta a subir nesta quinta e chega a R$ 4,21

A corrida eleitoral no país e o cenário externo, com a crise na Argentina se acentuando, estão garantindo um dia turbulento no câmbio no Brasil. Depois de disparar pela manhã, chegando ao patamar de R$ 4,21, o dólar perdeu força, reagindo a uma intervenção do Banco Central.

Às 15h34, a moeda norte-americana subia 1,19%, a R$ 4,1664. Na máxima do dia, chegou a R$ 4,2144. Na mínima, a R$ 4,1195. Veja mais cotações.

Nestes patamares, o dólar ronda a maior cotação de fechamento da história frente ao real. A maior até agora foi registrada em 21 de janeiro de 2016, quando a moeda dos EUA encerrou o dia a R$ 4,1631. No intradia, no entanto, esse valor já foi maior: o dólar chegou a valer R$ 4,2484 em 24 de setembro de 2015, mas recuou e fechou abaixo de R$ 4.

Na véspera, o dólar caiu 0,54%, a R$ 4,1176, após se aproximar da máxima de fechamento histórica no começo do pregão.

Alô Alô Salomão.