DPT ESCLARECE MORTE DE USUÁRIO DE MARCAPASSO

A perícia do Departamento de Polícia Técnica em Barreiras, segundo relato do delegado Arnaldo Monte não confirmou que Wanderley dos Santos Lima, de 38 anos, morreu em consequência de espancamento. De acordo com denúncia de familiares registrada na Delegacia Territorial de Riachão das Neves/BA, o mesmo teria sido espancado em ação da Polícia Militar durante a tradicional festa de Santana, na sede daquele município. “Mesmo com esse resultado vamos instaurar Inquérito Policial para ouvir testemunhas e partes denunciadas, para esclarecer se houve ou não abuso de autoridade durante a abordagem policial”, comentou.

O delegado disse ainda que aguarda a emissão de um laudo do médico legista Osório Amorim para prosseguir com as investigações.  Em relatório médico do Hospital do Oeste consta que Wanderley foi vítima de agressão física (espancamento) na segunda-feira (24/07/2017) e deu entrada no Pronto Socorro, onde sofreu crise convulsiva, rebaixamento de consciência e insuficiência respiratória, era cardiopata e usava marca-passo.

O comandante do Comando de Policiamento Regional Oeste (CPRO), Coronel Salomão declarou, em conversa informal com nossa redação, que não abriu procedimento para apurar a morte de Wanderley, por não possuir dados formais que comprovassem exagero na operação policial. Afirma ter recebido informações de que a vítima havia passado mal um dia após a abordagem e que na ocasião da operação, os policiais estavam em trabalho de rotina quando se depararam com o rapaz visivelmente embriagado, provocando tumulto, entretanto, realizaram uma ação coercitiva. “Tenho informações de que ele foi deixado com seus parentes em perfeito estado”, declarou.

Ressaltou ainda que a ação da polícia militar foi pública, transparente e que não recebeu qualquer informação documental ou pericial comprovando que a causa da morte de Wanderley tenha sido espancamento. Também alegou que não possuía dados formais sobre postura inadequada de sua guarnição.

Familiares da vítima declaram que um dos militares agrediu Wanderley com tapas no tórax, apesar de seu irmão ter alertado a guarnição sobre um marca-passo que ele usava para controlar os batimentos cardíacos, por isso, decidiram cobrar providências das autoridades competentes.

O assunto tem gerado especulações nas ruas da cidade de Riachão das Neves, situada a 54 quilômetros da capital do Oeste da Bahia (Barreiras), no entanto, não há provas concretas que liguem a morte à abordagem realizada na ocasião da festa.

Alô Alô Salomão