FALTA DE ENERGIA PARALISA ATIVIDADES NO COMPLEXO POLICIAL DE BARREIRAS E AUMENTA TENSÃO

Image00002

A Polícia Civil ainda não sabe a causa da nova queda de energia que atingiu importantes setores do Distrito Policial na noite desta segunda-feira, 01. Com todos os computadores desligados e a escuridão, o atendimento ao público que já estava prejudicado, permanecerá suspenso por tempo indeterminado. Alguns refletores iluminam de forma precária a área externa do pavilhão de detenção, onde as ameaças de fugas e motins têm sido constantes.

Image00003

A situação gera preocupação aos delegados e agentes plantonistas, porque ontem à noite, os presidiários promoveram uma rebelião por causa da falta d´água em toda a cidade, que atingiu o complexo policial do bairro Aratu e comprometeu o abastecimento da cadeia. Como forma de protesto, eles atearam fogo em colchões e consequentemente danificaram a rede elétrica da unidade de operação policial. Durante a revolta, quebraram grades de ferro do presídio e ameaçavam linchar os estupradores mantidos na cela 08, os quais precisaram ser relocados para outro setor.

A Embasa explicou que houve necessidade de reduzir a vazão de água da Estação de saneamento, para intensificar o tratamento físico-químico do rio de Ondas, que vem apresentando maior quantidade de matéria orgânica por causa das chuvas. Isso prejudicou o fornecimento local e gerou falta d´água para os encarcerados.

Falta de energia

Image00005

Segundo os agentes de plantão, um eletricista foi contratado para resolver o problema, no entanto, infelizmente houve um novo blecaute. Por precaução, o comando do 10º Batalhão da Polícia Militar encaminhou uma viatura para reforçar a segurança do complexo, atendendo solicitação dos delegados.

Durante o dia, policiais civis e militares encontraram aparelhos celulares, chuços e pedaços de ferro, mais uma vez, durante vistoria em todas as celas.

Alô Alô Salomão

Proteção NOVA