Forças de Segurança fazem operações no Rio e em São Gonçalo

As Forças de Segurança realizam operações na capital e na região metropolitana do Rio de Janeiro nesta quarta-feira (27).

No Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, 2.520 militares das Forças Armadas, apoiados por blindados e aeronaves, fazem cerco e revistas seletivas de pessoas e veículos, checam antecedentes criminais e verificam denúncias. De acordo com o Comando Conjunto, o objetivo da ação é promover a estabilização da área e remover barricadas.

Durante um confronto, um homem — identificado apenas como suspeito — foi baleado e morto.

Na Baía de Guanabara, 300 militares da Força-Tarefa da Marinha e 12 agentes da Polícia Federal, apoiados por dois navios, nove embarcações e uma lancha blindada, realizam bloqueio e cerco naval para reprimir fugas pela água.

O Comando Conjunto informou que algumas vias e acessos na região poderão ser interditados e setores do espaço aéreo poderão ser controlados, oportunamente, com restrições para aeronaves civis.

Ainda segundo o Comando, as ações devem impactar positivamente cerca de 1 milhão de pessoas, direta e indiretamente, abrangendo uma área terrestre de 32 km² e uma superfície marítima de 61km².

A ação se insere no contexto da intervenção federal na segurança pública do estado, que completou seis meses no dia 16 de agosto.

Operações da PM

Na capital, as incursões nas comunidades para combater o crime organizado estão a cargo da Polícia Militar.

Agentes do 18º BPM (Batalhão de Jacarepaguá) estão em operação na Cidade de Deus, na zona oeste, e agentes da UPP Pavão-Pavãozinho, com o apoio do GIT (Grupo de Intervenção Tática), atuam na comunidade da zona sul.

A plataforma OTT-RJ (Onde Tem Tiroteio) registrou disparos na Cidade de Deus, entre as localidades conhecidas como Karatê e Quinze, por volta das 6h e no Pavão-Pavãozinho por volta das 5h15.

Nesta última, um policial foi baleado não mão durante uma troca de tiros com suspeitos. Os disparos assustam não só os moradores da comunidade, mas também pessoas que vivem em regiões vizinhas, como Copacabana e Ipanema — bairros de classe alta da zona sul carioca.

 

Alô Alô Salomão.