IMAGENS DA CLÍNICA NÃO SERVEM COMO PROVA MATERIAL DA ACUSAÇÃO DE ESTUPRO CONTRA O TERAPEUTA

DSCF9857_opt

O delegado José Romero informou que as imagens captadas pelo circuito de filmagem da clínica naturista Vida Plena não ajudam esclarecer a denúncia de estupro contra o terapeuta ocupacional Paulo Alves Bandeira Junior, 27 anos, que teve como vítima a paciente J. K.S, de 19 anos, durante sessão de massagem e acupuntura, em seu consultório, na segunda-feira (22/04).

Disse ainda que a filmagem confirma o horário informado em depoimentos, de chegada e saída da vítima ao local, mas está distorcida, embaçada e desfocada, portanto não serve como prova material do fato.

A declaração do acusado sobre a existência de câmeras no consultório não confirma. Romero afirmou haver apenas uma gravação da área externa da unidade de saúde. “Percebe-se vultuosamente a chegada da garota e dos pais na frente da clínica, onde permanece até a chegada do provável mototaxista que mencionou ter chamado”, disse.

A jovem afirma que foi estuprada na mesa de terapia, durante uma sessão de acupuntura. A vítima acusa o terapeuta de ter colocado uma toalha sobre sua cabeça e depois de despida foi agarrada e violentada por Paulo, sem chance de reagir. “Os pais trouxeram atestados médicos que comprovam o seu trauma depois do ocorrido. Ela está tendo acompanhamento de especialistas da área de psicologia e psiquiatria”, reforça.

A polícia ainda aguarda o resultado do laudo do Departamento de Polícia Técnica para fazer o fechamento do Inquérito Policial. Alguns exames estão sendo realizados em Salvador/BA. “No depoimento dele, existem agravantes: ao ser preso, contou que não houve o estupro, mas quando falamos sobre a presença de vestígios no corpo e roupas da moça, mudou a versão e confessou tudo.

Depois disse que houve o contato sexual, no entanto com consentimento de J. K.S”.
O terapeuta está preso em uma das Celas do Complexo Policial do bairro Aratu em Barreiras.

Na quinta-feira, 24, o Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 7ª Região (Crefito-7) divulgou nota informando que Paulo não tem registro no órgão, que fiscaliza o controle ético, científico e social sobre as profissões de fisioterapeuta e terapeuta ocupacional.

O diretor da VISA – Vigilância Sanitária Municipal concedeu entrevista a alguns órgãos de imprensa de Barreiras citando irregularidades na estrutura física, além de documentos da clínica que também não vinha obedecendo às normas sanitárias vigentes no país.

Assunto relacionado: TERAPEUTA ACUSADO DE ESTUPRO É PRESO EM BARREIRAS

Alô Alô Salomão

 

SKALA MODAS