Vítima de grave acidente é declarada morta por familiares e amigos, que pedem desculpas por informação equivocada

A comerciante teve óbito declarado por familiares e amigos da família que alegaram ter recebido informações de sua morte cerebral no hospital do Oeste, mas a noticia foi desmentida horas depois. Alguns pediram desculpas pela divulgação equivocada, porque espalharam a mensagem nas redes sociais. O radialista Ednilson Rodrigues, que é amigo da família, declarou que os médicos vão aplicar uma nova medicação nesta tarde para tentar estimular a paciente, a qual está viva por meio de aparelhos artificiais. “Nós estamos orando e pedimos a todos que nos ajudem em oração. Não podemos perder a esperança em Deus”, comentou.

O grave acidente, uma colisão entre um Fiat/Pálio, cor branca e um GM/S10, cor prata, aconteceu na noite de domingo (25), nas imediações do bar e restaurante Cajueiro, na BA 447 (estrada de Angical).

O condutor do Pálio, Aroldo Alves de Oliveira e as passageiras Ana Maria da Silva Neta e Zilda Almeida Santos Carvalho sofreram lesões corporais e receberam socorro do SAMU/192. Todos deram entrada no pronto-socorro do hospital do Oeste.

A caminhonete era dirigida por Amauri de Jesus Silva Martins, que fugiu do local do acidente. A passageira Thaise Bastos da Silva ficou levemente lesionada e foi encaminhada para a UPA, no bairro Santa Luzia.

Os dois veículos foram levados por policiais rodoviários estaduais para o pátio do complexo policial do bairro Aratu, onde o delegado Francisco Carlos de Sá vai adotar providências de polícia judiciária.

Alô Alô Salomão