PRÁTICAS AMBIENTAIS, SOCIAIS E ECONÔMICAS SÃO AVALIADAS EM FAZENDAS PRODUTORAS DE ALGODÃO NA BAHIA

DSC_0675-001_opt

O programa é baseado em três pilares: ambiental, social e econômico

O Algodão Brasileiro Responsável (ABR) – programa de sustentabilidade da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) -, realiza até fevereiro, visitas nas unidades produtoras de algodão, inscritas no programa, na Bahia. A visita tem como objetivo o diagnóstico inicial e preparação do processo de certificação de conformidade – safra 2015/16.

O Certificado de Conformidade Algodão Brasileiro Responsável (ABR) e o respectivo Selo de Conformidade do programa, atestam o nível de conformidade obtido pelo produtor (por unidade produtora/fazenda), com base nos critérios de sustentabilidade adotados no Regulamento do programa, que tem como fundamento o incremento progressivo das boas práticas sociais, ambientais e econômicas, atendendo pelos princípios fundamentais do desenvolvimento sustentável, em especial os relativos à regularidade das relações trabalhistas e o cumprimento das normas de segurança do trabalho; proibição da utilização de mão de obra infantil e da prática de trabalho forçado ou análogo a escravo, trabalho degradante ou indigno; proibição de discriminação de pessoas; liberdade de sindicalização e apoio à negociação coletiva entre os sindicatos laborais e patronais; proteção legal e preservação do meio ambiente e a aplicação das boas práticas agronômicas na produção do algodão brasileiro.

DSC_0701_opt

Para o responsável pela controladoria do Condomínio Santa Carmen, Marlon  Steinbrenner, a medida que as fazendas participam de programas como o ABR, os ajustes vão sendo feitos e as fazendas vão se adequando mais facilmente à legislação. “Nós já participamos do programa em três safras.  Para nós, essa participação representa uma adequação aos critérios de sustentabilidade e meio ambiente, às questões trabalhistas e regulação de documentos. Isso nos traz maior segurança em relação às boas práticas no processo de produção, e em todos os aspectos”, disse.

Programa ABR realiza visita no Condomínio Santa Carmen

Seguindo o cronograma do programa, após a realização do diagnóstico será elaborado um plano de correções, em que serão sugeridas aos produtores, adequações das não conformidades encontradas. A segunda fase do processo de certificação é a de auditoria, prevista para março. Para a safra 2015/2016 a expectativa é de certificar 55% da produção de algodão do Estado da Bahia, alcançando um avanço de 10% em relação à safra passada, quando o ABR certificou 36 propriedades, totalizando 46% da área de algodão, na Bahia.

O ABR foi implantado na Bahia pela Abapa, com a coordenação da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa) e com o apoio do Instituto Brasileiro do Algodão (IBA).

ASCOM ABAPA

Alô Alô Salomão

consultnvnghd,j img grande_opt