PROGRAMA ENCADEAMENTO PRODUTIVO NO AGRONEGÓCIO INICIA ATIVIDADES NO OESTE

Image00001

A Aiba, em convênio com o Sebrae, Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia (Faeb), e Sindicato do Produtores Rurais de Barreiras, começaram os trabalhos do Programa Encadeamento Produtivo no Agronegócio. Essa iniciativa tem como objetivo aumentar a competitividade, cooperação e competência tecnológica entre as pequenas empresas fornecedoras e as grandes fazendas do cerrado baiano.

A adequação desta metodologia, Encadeamento Produtivo, nos moldes identificados para a realidade do agronegócio local é uma iniciativa pioneira, pois além de qualificar as MPE (micro e pequenas empresas) já existentes, também estimulará o surgimento de novos negócios que já iniciarão suas atividades num mercado consumidor (as fazendas). Essas propriedades tem uma demanda considerável de produtos e serviços, que seguramente viabilizará tanto esses empreendimentos, quanto o fortalecimento econômico dos distritos contemplados na proposta. Os serviços oferecidos pelos empreendedores incluem as áreas de alimentação, mecânica, alojamento, depósito, segurança de insumos agrícolas, entre outros.

O programa está dividido em duas etapas. A primeira delas começou no dia 2 de setembro, e consiste no levantamento das demandas de mercado, quais produtos e serviços consumidos, e oportunidades de negócios existentes. Em seguida, com data prevista para o início de 2015, começarão os encontros para qualificação profissional, com capacitações, palestras e fóruns.

Para o produtor rural, Douglas Radol, essa iniciativa fomenta o crescimento econômico tanto do agricultor, quanto das pequenas empresas. “O encadeamento produtivo é inédito na região Oeste, e permitirá o aumento da qualidade dos serviços prestados pelos empreendedores, e ainda facilitará a vida do produtor, que se dedicará mais a produção”, disse Douglas.

Segundo o gerente regional do Sebrae Barreiras, Emerson Cardoso, o programa atenderá inicialmente 30 fazendas, nas comunidades de Novo Horizonte, Bela Vista e Placas, nos municípios de Luís Eduardo Magalhães e Barreiras. “Nossa expectativa é quantificar esse mercado ainda muito pouco explorado pelos empreendedores locais, facilitar o acesso das micro e pequenas empresas nessa cadeia de negócios, bem como, qualificá-las na realização de serviços diferenciados. Por outro lado, o produtor estará focado na sua atividade principal fomentando mais divisas para nossa região”, pontuou Emerson.

O Programa Encadeamento Produtivo no Agronegócio incentiva o crescimento dos resultados das safras. A preocupação do agricultor será somente com a lavoura, e não mais com as outras atividades que acontecem na fazenda. “Essa necessidade dos produtores, já existe há algum tempo, e com esse programa será possível aumentar a competitividade dos produtos e serviços, o que é fundamental para o desenvolvimento do agronegócio baiano”, afirmou Moisés Schmidt, presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Barreiras e conselheiro da Aiba.

Por: ASCOM/AIBA

Foto: divulgação

Alô Alô Salomão

 

TEC VIDROS