Roraima cobra posição do governo sobre corte de energia venezuelana

Estado não está interligado ao sistema elétrico nacional, sendo totalmente dependente do abastecimento energético venezuelano

Suely Campos, Governadora de Roraima (Secom Roraima/Divulgação)

A governadora de Roraima, Suely Campos, protocolou nesta segunda-feira, 27, ofícios a vários órgãos do governo federal nos quais pede posicionamento sobre possível ameaça de corte no fornecimento de energia por parte do governo venezuelano. O pedido se baseia em reportagens publicadas na imprensa, que mencionam uma dívida do governo brasileiro com o país vizinho de 30 milhões de dólares.

O chefe da Casa Civil do governo de Roraima, Frederico Linhares, diz que são necessárias medidas urgentes caso a ameaça seja real, tendo em vista que o estado não está interligado ao sistema elétrico nacional, sendo totalmente dependente do abastecimento energético venezuelano.

“Por conta do embargo econômico imposto pelos Estados Unidos à Venezuela, haveria uma dificuldade operacional de se fazer uma operação financeira entre Brasil e Venezuela. Mas a gente acredita que, com esforço do Banco Central e do Itamaraty, isso pode ser superado. Basta uma vontade política do governo federal para que isso se suceda”, disse Linhares.

O governo roraimense pede que o governo federal se posicione em até 48 horas. Entre os órgãos acionados estão a Casa Civil da Presidência da República, o Ministério das Relações Exteriores, o Ministério de Minas e Energias, a Agência Nacional de Energia Elétrica, o Banco Central e a Eletronorte.