TÉCNICOS DA VIGILÂNCIA SANITÁRIA MUNICIPAL VISITAM O COMPLEXO POLICIAL DO BAIRRO ARATU

Image00001

A Vigilância Sanitária Municipal se colocou a disposição do Departamento de Polícia Técnica para ajudar na recuperação da área contaminada por sangue, secreções e produtos químicos usados em necropsias e na conservação de corpos, que estavam escorrendo a céu aberto na área do IML do Complexo Policial de Barreiras.

O sangue misturado a outros resíduos líquidos estavam sendo despejados juntamente com as águas do esgoto da cadeia pública diretamente em uma vala construída pela prefeitura Municipal na área externa do órgão, e posteriormente caiam na rua Júlio César, em frente à delegacia e a Justiça do Trabalho.

Segundo o diretor do órgão, Márcio Pita, ao tomar conhecimento da situação por meio da imprensa, sua equipe realizou uma avaliação para constatação do grau de contaminação, e descobriu várias falhas na estrutura física funcional, além de sobrecargas nas fossas do IML e da cadeia pública. “Verificamos que os problemas acarretam sérios riscos à saúde humana e prejuízos ao meio ambiente, mas conversamos com o Coordenador Regional do DPT, Claudemiro Pires, e temos o aval do prefeito Antonio Henrique para colaborar no que for possível, tanto no fornecimento de produtos na desinfecção da área, quanto na limpeza das fossas”.

Destacou que poderão ser adotadas algumas medidas emergenciais, citou, por exemplo, a construção de duas ou três fossas, enquanto se faz um estudo para solucionar os problemas mais graves. A limpeza das fossas ocorrerá toda sexta-feira e um caminhão estará disponível nos dias programados para fazer a coleta de resíduos especiais do necrotério.

Image00002

Claudemiro ainda observou que em caráter emergencial, pretende construir uma fossa especial, onde os resíduos devam estar dispostos em uma programação de retirada, autoclavada, tratada quimicamente e posteriormente descartada através de uma empresa especializada que demande contrato com o Governo do Estado ou Município. “Estamos em negociação com o município”, enfatizou.

Relembrou ainda do projeto de construção de um novo complexo policial elaborado quando esteve na direção do Departamento de Policia Técnica no interior do estado, pelo qual se contempla soluções para todas as dificuldades sanitárias atualmente enfrentadas pelas polícias científica e judiciária local. “Idealizamos um departamento com um necrotério dentro das prescrições técnicas modernas”, revelou.

A unidade policial do bairro Aratu, atualmente abriga a delegacia da mulher, a 11ª Coordenadoria Regional de Polícia Civil, 1ª Seccional de Barreiras, clinica médica e setor de perícia do DPT, necrotério, alojamentos para plantonistas, gabinetes dos servidores e cadeia pública com mais de 140 presos. O sistema não foi construído com capacidade para captar a grande quantidade de resíduos líquidos produzidos todos os dias e transbordam nos canais de esgotamento sanitário.

Alô Alô Salomão

 

 

 

REAL CALÇADOS