TRAFICANTE É MORTO AO ATIRAR CONTRA A POLÍCIA MILITAR

O traficante Marcelo Santos do Nascimento, de 26 anos, conhecido como ‘Marcelinho’, foi morto depois de atirar contra a Polícia Militar, nas proximidades do bairro São Francisco, na BR – 135, na noite de ontem (23), por volta das 21h 40.

Ele foi localizado durante operação de uma equipe da RONDESP/Oeste, e empreendeu fuga em sua moto Honda/Biz – 125, cor branca, após tentativa de abordagem dos PMs, reagiu e foi ferido e morto no local.

Os policiais contam que ele fugiu ao perceber aproximação da viatura padronizada, com sinais sonoros (sirene) e os sinais luminosos (giroflex) ligados, no sentido Riachão das Neves e, logo depois, fez manobra de retorno, na rotatória, seguindo sentido Bairro Vila Amorim. A viatura realizou acompanhamento tático ao infrator, que sacou um revólver e efetuou alguns disparos em direção ao efetivo policial, o qual reagiu imediatamente, para preservar a integridade da guarnição.

Os policiais acionaram a ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgências – SAMU e o médico Diego Pereira do Amaral prestou atendimento ao suspeito no local, tendo constatado sua morte. Os militares observam que, uma ficha de atendimento pré-hospitalar foi apresentada na delegacia do complexo policial do bairro Aratu, inclusive atendendo previsão legal predita no artigo 6º do Código de Processo Penal.

O corpo de Marcelo foi removido para o Instituto Médico legal – IML do Distrito Integrado de Segurança Pública – DISEP. A arma de fogo (revólver calibre 38), com seis cápsulas deflagradas, foi apreendida no local do evento criminoso pelos policiais militares e encaminhada para a delegacia, juntamente com três tabletes de “maconha”, prensada e acondicionada em saco plástico, pesando aproximadamente 15 gramas, uma balança digital pequena, CRLV e chave da motoneta, celular/smartphone, capacete e a motoneta HONDA/BIZ 125 – EX.

Por volta das 23:00h, após a morte do traficante, os policiais militares receberam denúncia anônima, informando que um imóvel na Rua da Usina, nº 64, loteamento Boa Vista III, era usada como depósito de drogas de Marcelo. A droga (trinta tabletes de substância com características de cannabis sativa “maconha”, prensada, acondicionada em sacos plásticos, pesando aproximadamente 23 quilos e 430 gramas, misturada com café em pó, cada tablete medindo aproximadamente 10 cm de largura por 31 cm de comprimento) estava debaixo de uma cama de madeira, em um dos cômodos da casa.

Os militares ressaltam que o acusado já foi preso várias vezes por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo.

A delegada Claudia Duarte expediu guia para realização de perícia do Departamento de Polícia Técnica no local do óbito e translado do corpo para realização de necropsia no IML regional (DISEP/SESI).

Alô Alô Salomão