VIGILANTE PRESO POR TRANSPORTE ILEGAL DE ARMA DE FOGO DEFENDE QUE SUA CATEGORIA TRABALHE ARMADA

Ao ser liberado do complexo policial de Barreiras na manhã desta sexta-feira (15), onde ficou detido durante 24 horas, por transporte ilegal de arma de fogo, o vigilante Jarbas Gomes Ferreira declarou que exerce o papel de defender a vida das pessoas de bem e reivindicou o porte de armas para os profissionais da categoria, alegando que exerce uma atividade que os expõem ao perigo constantemente. Segundo ele, já foi ameaçado de morte e estava andando armado por conta do risco. “Infelizmente a Lei não nos permite andar armados e a denuncia só é feita contra o cidadão, ninguém denuncia o vagabundo, porque não sabe onde o vagabundo mora, já o cidadão não anda se escondendo”, comentou.

Jarbas foi preso por uma guarnição da 84ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM), após denuncia anônima. Foi localizado em sua residência no Bairro Nova conquista, em Barreiras/BA, transportando um revólver Taurus, Calibre .38, com seis munições intactas, no assoalho do seu veículo. Depois de receber voz de prisão, foi conduzido até à Delegacia de Polícia de Barreiras, onde o delegado Francisco Carlos de Sá lavrou seu flagrante com base na Lei do desarmamento.

O delegado declarou que o vigilante cometeu crime, ao transportar arma de fogo e munição ilegalmente, devido à ausência de autorização. Ele foi liberado mediante pagamento de fiança arbitrada ao valor de R$ 1 mil e 500 reais. “Eu não defendo que todo mundo ande armado. Tem que haver uma seletividade. Não estamos tratando como vagabundo ou como bandido, uma pessoa que trabalha, mas o Jarbas, lamentavelmente estava na contramão da Lei e a Polícia Civil tem que fazer o trabalho dela”, declarou Carlos de Sá.

Na semana passada, um irmão de Jarbas que também exerce a mesma profissão (vigilante), foi preso pela Polícia Militar e também liberado mediante pagamento de fiança.

Alô Alô Salomão